Gisela Teixeira, Dra.

Resumo Curricular:

Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta, com formação especializada em psicoterapia Interpessoal (nível D, Supervisora & Monitora, certificada pela API | Academia de Psicoterapia Interpessoal, reconhecida pelo Interpersonal Psychotherapy Institute, USA).

Licenciatura em Psicologia Clínica, em 2004, pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto. Formação pós-graduada em Musicoterapia pelo Espaço T em colaboração com a FPCEUP, em 2004.

Mestrado de Especialização em Saúde Pública, em 2008, na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto em colaboração com o ICBAS (atual ISPUP).

Mestrado de Especialização em Neuropsicologia Clínica, em 2011, pela Universidade de Salamanca em colaboração com o ISMAI.

Formação pós-graduada - “Reabilitação dos deficits de memória e de funções executivas”, Barbara Wilson em colaboração com o ISMAI, em 2011. Especialização em Terapia Visual e Cognição pela Universidad Internacional Isabel I de Castilla, 2019. Especialização em Neurofisiologia Clínica pela Universidad Internacional Isabel I de Castilla, 2020. Especialização em Neurofeedback e EEG pela MediBrain, 2020.

SERVIÇOS:

Neurocognição- O Treino neurocognitivo assenta na plasticidade cerebral, conhecida como neuroplasticidade- a resposta dada pelo cérebro para adaptar-se a novas situações e restabelecer o equilíbrio alterado, depois de uma lesão. O processo de estimulação neurocognitivo promove e facilita o processo de aceitar, lidar e ultrapassar o quadro de défices cognitivos causados por lesão (adquirida ou degenerativa) cerebral; foca-se nas limitações funcionais, dirige-se aos problemas emocionais e comportamentais e integra no processo de reabilitação o doente, a sua família e outros significativos.

Neurofeedback- O neurofeedback também denominado de neuroterapia, é um tratamento cujo principal objetivo é o de melhorar o funcionamento cerebral por meio da neuromodulação autorregulatória não invasiva. Partindo da premissa de que a base de comunicação entre as células cerebrais de deve a um mecanismo de descargas elétricas, o neurofeedback pode estimular e contribuir para regular e desenvolver competências neurocognitivas e comportamentais e corrigir padrões de distúrbios. Os nossos programas de treino são estruturados e adaptados aos pacientes tendo por base a avaliação inicial pré-tratamento e constantemente ajustados tendo por base a performance e resultados por sessão.

Entre outros poderemos assinalar algumas das disfunções para as quais o neurofeedback tem provas dadas de eficácia:

  • Ansiedade e stress patológico;
  • Depressão;
  • Perturbação do Espectro Autista;
  • Transtorno Obsessivo e Compulsivo (TOC);
  • Défices de Aprendizagem;
  • Atrasos de Desenvolvimento;
  • Perturbação da Hiperatividade e Défice de Atenção;
  • Acidente Vascular Cerebral, Lesão com Ocupação de Espaço, MAV,…
  • Traumatismo Crânio-Encefálico (TCE)
  • Quadros de Epilepsia;
  • Perturbações de Memória, Flexibilidade Mental e Rapidez de Raciocínio
  • Perturbações do Sono;
  • Dor crónica (incluindo Fibromialgia);
  • Otimização de Performance Cognitiva e Desportiva.

Biofeedback- A Bioressonância (Equipamento OBERON), é uma das metodologia de biofeedback, que permite fazer uma avaliação fisiológica não invasiva do estado geral de saúde ou em particular de um órgão ou sistema. Cada órgão, tecido e célula do corpo humano possui uma frequência eletromagnética específica e identificável (uma em equilíbrio e outra em desequilíbrio), sendo possível ao equipamento de bioressonância analisar desequilíbrios/stresses no campo biológico do paciente e ao mesmo tempo produzir padrões de bioressonância que corrigem/harmonizam os desequilíbrios detetados. Através do Software OBERON-System é possível, de uma forma acessível, indolor e holística, compreende as diferenças entre as oscilações de um corpo são e de um corpo doente, hierarquizar essas discrepâncias e potencializar o diagnóstico de patologias e desequilíbrios em fases muito iniciais.

Terapia Visual e Cognição- O processo atencional visual é um processo cognitivo-percetual de seleção, discriminação, codificação e descodificação de informação apresentada visualmente. Alterações no processo de percepção visual são altamente incapacitantes nos diversos contextos vivencias- desde a execução das atividades de vida diária que prossuponham a recordação visual, como por exemplo, recordar onde guardou um determinado objeto (as chaves de casa, a carteira, o casaco,…), reconhecer caras familiares ou memorizar caras novas, reconhecer espaços familiares (implicações a nível familiar e socio-cultural) ou memorizar visuo-espacialmente um contexto novo, reconhecer um trajeto familiar ou memorizar um trajeto novo com pistas visuais, explorar uma obra de arte (pintura, dança, teatro, cinema, zoológico…). Os nossos programas utilizam metodologias inovadoras de neuromodulação, nomeadamente Terapia Virtual, Deep Red Light Therapy e Estimulação Visual Primária e Cognitiva, com provas dadas na área da Terapia Visual e Cognição.

Atletas- Com os avanços consecutivos nos processos de diagnóstico diferencial, neuroimagem e consolidação das potencialidades da Reabilitação, não só física e mecânica mas também cognitiva e psicossocial, atualmente os processos recuperação lesional (independentemente da sua natureza ou causa) são “trabalhados” no sentido da recuperação e funcionalidade. O processo de recuperação lesional deve preconizar as necessidades sentidas pelo paciente (cognitivas, comportamentais e emocionais), as suas exigências de performance pessoal, profissional e/ou social e expectativas funcionais. Os nossos programas, com recurso a esquipamentos inovadores e estratégias de neuroperformance avançada, potencializam ao máximo o princípio da Neuroplasticidade Cerebral, capacidade que as células neuronais possuem de restabelecer e criar novas ligações entre si.

Corporate/Liderança/ Brain Performance- Num contexto atual de procura de eficácia e eficiência, de resultados ótimos e “desperdício zero”, a performance pessoal e profissional almeja atingir níveis excelentes de rentabilidade. A estimulação e o treino cognitivo de alta performance promovem o aumento da espessura do córtex não apenas por um maior número de células nervosas mas também um aumento expressivo das ligações entre células (redes neuronais); por outras palavras, promoverá pensamento mais rápido, raciocínios mais complexos, multitasking (capacidade para realizar mais do que uma tarefa simultaneamente e sem perda de rendimento), otimização de performances específicas, etc. É o perfil ideal do “Líder”.

Uma Liderança consolidada implica o recurso a competências cognitivas optimizadas e a excelência do Foco- um líder disponível, conectado, flexível e proactivo!

Vamos criar uma Liderança Positiva!

Crianças- O cérebro infantil é um “mar de potencialidades”! A ciência confirma que a estimulação e o treino, certos, promovem o aumento da espessura do córtex não apenas por um maior número de células nervosas mas também um aumento expressivo das ligações entre células (redes neuronais). Toda a criança, através de um conjunto de exercícios de treino cognitivo e psicomotor, desenvolverá e optimizará as suas competências de cálculo, raciocínio, memória, visuo-construção,… Com o recurso a esquipamentos inovadores e estratégias de performance cognitiva, desenhamos um programa de treino cognitivo, a médio e/ou longo- prazo, à medida da criança e das suas expectativas.

Idosos- Se partirmos do pressuposto popular de que “Trabalhar dá saúde!”, embora numa perspetiva simplista e arcaica, estaremos perante o princípio basilar de Reserva Cognitiva.

Reserva Cognitiva é entendida como um mecanismo (multimodal) ativo de efeito protetor à lesão e degenerescência das células cerebrais, baseado nas competências adquiridas e optimizadas ao longo da nossa vida; fatores como o nível socioeducativo e profissional proporcionam um efeito protetor às alterações patológicas cerebrais. Desta forma, pessoas com competências cognitivas mais desenvolvidas, com níveis educacionais mais elevados e cargos profissionais mais exigentes vão apresentar uma maior estimulação cognitiva, melhores estratégias de resolução de problemas e de compensação (aumento significativo do número de neurónios e circuitos sinápticos e, complexidade das redes neuronais). Quanto maior a reserva cognitiva maior potencialidade neuroplástica (capacidade que as células do cérebro possuem de restabelecer e/ou criar ligações entre si) e consequentemente melhores prognósticos fase a uma lesão/patologia cerebral (Satz et al., 2010).

Em suma, um cérebro optimizado será mais resistente ao processo de senescência (percurso natural de envelhecimento anatomofisiológico ao longo da idade adulta), mais e melhor preparado para recuperar de lesões e eficiente na luta contra o iniciar e evoluir de doenças neurodegenerativas.

Porque Prevenir continua a ser o melhor Remédio!

Agende a sua consulta com a Dra. Gisela Teixeira agora aqui.

Marcação de Consultas

Faça a sua pré-marcação de consulta aqui!
Marque já a sua consulta
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram